segunda-feira, 18 de abril de 2011

As conseqüências do bullying na sociedade

Hoje em dia não há escola que possa afirmar que nenhum de seus alunos sofrem bullying, muitas delas dizem sempre abordar o tema mas isso não parece suficiente. A escola mais do que ninguém junto com os pais e os alunos devem trabalhar esse problema  constantemente, não apenas uma vez no ano. "É uma das formas de violência que mais cresce no mundo", afirma Cléo Fante, educadora e autora do livro Fenômeno Bullying: Como Prevenir a Violência nas Escolas e Educar para a Paz


 Bullying é um problema muito sério e ele não afeta os alunos apenas nas escola, ele afeta o ser humano em sua socialização, no seu contato com outras pessoas, nas suas amizades, sua vida social. Ações como essas que parecem ser inofensivas podem criar pessoas vingativas e raivosas, com comportamentos estranhos. 






A dias atrás tivemos o exemplo do Wellington, que atribuiu todos os seus atos ao bullying. Essa é uma questão polêmica, mas de fato em seu pensamento, o que fez com que ele tivesse um ato violento e considerado por muitos desumano foi o bullying. Pois ele que passou sua infância sofrendo na mão dos “amigos”,cresceu com uma vingança em sua mente e com uma vida diferente dos outros, pois segundo reportagens ele vivia em sua casa, sozinho e passava o dia no computador. Alguns contam Wellington foi colocado de cabeça para baixo, dentro de um vaso sanitário e deram descarga. Já vi também na internet o depoimento de uma menina que sofre bullying na escola,os meninos rasgaram todo o uniforme dela no meio do pátio e ninguém da escola tomou atitude, nem sua própria mãe, como conseqüência de tudo que ela, ficou bulêmica e até hoje não consegue se livrar desse problema, mas ela conseguiu se aceitar e não ligar para opinião de pessoas desocupadas. 


Mas, infelizmente tem uns casos que as pessoas não conseguem superar esse problemas e seu psicológico fica totalmente abalado, e elas tomam atitudes drásticas, que afetam a sociedade, a imprensa e tomam proporções gigantescas, atingindo outros países. Fazendo com que outras pessoas que tenham passado pela mesma situação sejam influenciadas a tomarem a mesma atitude, causando sofrimento de várias outras famílias. Então ainda assim me questiono, até que ponto uma brincadeira vira bullying ? Quais consequências essas brincadeiras podem ter para a vítima ? E futuramente quais conseqüências essas brincadeiras podem trazer para algumas famílias ou para a sociedade ?


2 comentários:

  1. Infelizmente não há como acabar com o bullying, pois as pessoas que não estão acostumadas com críticas acabam levando tudo muito a sério,e as provocadoras não possuem maturidade para aceitar qualquer tipo de diversidade e é justamente essa ignorância que leva às agressões físicas e psicológicas.
    Andreia Lírio.Tô usando a conta da minha prima.

    ResponderExcluir
  2. Oi:

    Isso é uma coisa antiga e que SÓ É DEBATIDA/ESTUDADA recentemente...
    Imagino que tal coisa aconteça de várias maneiras - em PEQUENA/MÉDIA/GRANDE escala; difícil alguém não ter passado por isso!
    Sou suspeito e culpado para falar, pois passei isso quando vivia no RJ: aliás lá VIOLÊNCIA é uma das MARCAS REGISTRADAS. E acontece nas melhores escolas inclusive...
    Brigas/intrigas/ameaças/falsidades/boatos são algumas (!) das coisas que envolvem o BULLYING.
    Até digo que quanto a pessoa FOR MAIS VELHA, PIOR: pois pode entrar coisas JUDICIAIS na jogada.
    Crianças/pessoas mais jovens tendem a ser MALDOSAS/CRIAR CASOS... Muitas vezes não sabem o que estão fazendo e nem imaginam as consequências futuras! E imagino que muitas destas, futuramente: se dão conta do estrago/afim e até pedem perdão para quem foi prejudicado...
    Eu mesmo já me desculpei com quem prejudiquei e até gostaria de encontrar outras e reconhecer coisas que fiz!
    E outra coisa que deve ser (re)vista, a origem/ambiente familiar que a pessoa agressora tem... Em grande parte: lar abusivo/pais indiferentes/drogas; cheguei a ler num JORNAL ELETRÔNICO da minha cidade que "quando o aluno era repetente várias vezes podia acabar agressivo/portador de drogas" - e tive colegas do gênero!
    Ainda há muito o que aprender sobre a NATUREZA HUMANA (onde muitos casos é 'desumana' mesmo).

    Tchau,
    Rodrigo

    ResponderExcluir